sábado, 22 de novembro de 2008

Pirataria de Software.



Embora o Ministério da Justiça esteja investindo pesado no combate à pirtaria e, não obstante a Lei 7.646/87 estabeleça que a violação de direitos autorais de programas de computador seja crime, punível com pena de detenção de 6 meses a 2 anos e multa, além de ser passível de ação cível indenizatória, ainda assim o cidadão comum permanece vulnerável à pirataria.


Se for vítima desse tipo de ação, consulte a ABES - Associação Brasileira das Empresas de Software, ou ligue para o Telepirata - 0800.110039 e, sempre, denuncie na delegacia de ordem econômica e requeira a reparação dos danos sofridos nos tribunais cíveis e, em caso de dúvida, consulte a ABES - Associação Brasileira das Empresas de Software, ou ligue para o Telepirata - 0800.110039.


O meu caso particular é típico e serve como alerta para que outros evitem cair em engodos como eu caí. Assim como acontece diariamente com centenas de cidadãos comuns, eu também recorri às ofertas de “assistência técnica especializada” anunciadas nos jornais e, no fim, perdi meu equipamento, além de dados valiosos, programas e outros itens do meu patrimônio virtual, como fotos digitais, documentos e acervo histórico, literário, profissional.

Em 01/08/2008, requisitei a visita de um destes supostos prestadores de serviço para manutenção de um computador Notebook Toshiba original, semi-novo, na qual solicitei tão somente o seguinte:

1 - A recuperação de alguns dados deletados e
2 - o reparo do HD externo de 250 Gb, que eventualmente não ligava.

O suposto técnico passou uma tarde em minha casa, cobrou de minha mulher a quantia de R$100,00 e saiu informando que o problema estava resolvido. Entretanto, ao chegar em casa constatei que tudo estava tal como eu havia deixado de manhã, ou seja:

1 - A recuperação de dados não foi realizada. O rapaz apenas havia instalado um desses programinhas disponíveis na Internet que, aliás eu já conhecia, e que não passam de enganação.

2 - Em relação ao HD, apenas informou à minha esposa que se tratava um problema no cabo da fonte.

Mas, meus problemas estavam só começando!...
Liguei para o rapaz que, em tom de desconversa, me prometeu "ajudar" na recuperação dos dados e reafirmou que a troca do cabo resolveria o problema do HD externo. Porém, na loja de equipamentos eletrônicos me demonstraram que o cabo antigo funcionava perfeitamente.

Voltei a insistir com o rapaz para que revisse seus serviços e deixei o computador em sua residência no dia 07/08/08. Quinze dias se passaram e, após muita insistência e cobranças, pude pegá-lo de volta. Porém, ao chegar em casa constatei que a prometida recuperação de dados nem tampouco o restabelecimento do funcionamento do HD externo de 250 Gb não tinham sido resolvidos.


Além disso, o computador apresentava quatro novos problemas que não existiam antes da sua intervenção, quais sejam:

1 - O Windows apresentava freqüentes problemas de bloqueio de funcionamento;

2 – Um novo HD de 250 Gb que me havia sido oferecido para venda, não funcionava;


3 - O computador não mais acessava a Internet, sendo que o fornecedor do canal (Brasiltelecom), bem como o provedor (PS-5) informaram não haver problemas nos respectivos serviços e que a interrupção de funcionamento era decorrente de alterações da configuração original do computador;

e o pior,


4 – TODOS os meus programas de uso cotidiano haviam sido deletados, alguns dos quais me custaram valores consideráveis;


Como se não bastasse, o suposto técnico havia apresentado, juntamente com o computador devolvido, uma nova conta adicional no valor de R$650,00, que eu prontamente questionei, uma vez que não havia justificativa ou fundamento para nenhum dos seis itens enumerados por ele na própria conta, quais sejam:

1 - Um “case” (caixa para disco rígido) de marca SATA: Eu sequer cogitei a compra, tampouco recebi quaisquer cases adicionais;

2 - Outro “case” de marca IDE: não justificado pelas mesmas razões do item acima;

3 - Formatação: Eu não havia solicitado qualquer formatação; pelo contrário, recomendei absoluto cuidado na preservação de todo o conteúdo do meu computador, informando se tratar de material de altíssimo valor profissional, histórico e sentimental;

4 - Back Up de Arquivos: Além de não solicitar quaisquer back-up eu não havia recebido nada nesse sentido;

5 - Back Up de Drivers: Igualmente descabido pelos mesmos motivos do item anterior;

6 – Instalação: segundo o suposto técnico havia sido feita atualização de todos os softwares, dentre os quais o sistema operacional Windows e todos os programas do pacote MS-Office originais (Word, Excel, Power Point, dentre outros).

Depois destas constatações, levei mais uma vez os equipamentos ao rapaz que nitidamente me enrolou por mais alguns dias e os devolveu com um monte de justificativas absurdas e, grosseiramente, me sugeriu que, se estivesse insatisfeito, procurasse meus direitos.
Levados em outro prestador de serviços, verificou-se por fim a seguinte situação:
1 – O HD externo de 250 Gb, que antes apresentava tão somente um problema de mal contato, havia sido gravemente danificado por pancadas violentas que atingiram, pelo menos, dois pontos distintos do equipamento, sugerindo possível ação de sabotagem que suspeitei ter sido efetuada em retaliação, por eu ter questionado os valores cobrados. Em conseqüência disso, perdi todo um acervo de dados pessoais de alto valor, dentre os quais, cerca de 22.000 fotografias digitais arquivadas entre os anos de 1999 e 2008, cópias de todo o acervo documental de uso em família e trabalhos pessoais e profissionais meus, de minhas filhas e de minha esposa;

2 – Após a formatação não autorizada, realizada pelo suposto “técnico”, todos os programas de uso pessoal, inclusive o sistema operacional Windows e os programas do pacote MS-Office originais (Word, Excel, Power Point, além de outros), foram perdidos ou substituídos por versões piratas, o que configura nitidamente a comercialização ilícita e forçada de softwares piratas.
Como se não bastasse tamanho dano, após o decurso de cerca de 30 dias o computador teve o funcionamento reduzido a simples avisos, com bloqueio total de alguns dos programas instalados pelo suposto técnico, apenas apresentando, para cada programa aberto, a seguinte mensagem na tela:

“Você pode ter sido vítima de falsificação de software - Esta cópia não passou nos testes de validação original”

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns, Márcio. Muito útil a matéria. Serve como exemplo e alerta para as armadilhas dos desonestos e sem ética colocadas no nosso dia-a-dia.
Carlos Rafael

Carlos disse...

Olá, sou seu colega de carreira.
Bem, o que tenho a dizer é que tudo isso por que vc passou é lamentável. Mas é típico de PC, né?
Experimente computadores da Apple. Há mais de um ano, troquei todos os meus equipamentos e adorei!

Abraço e boa sorte.
Carlos [9a. turma]